A saga Metal Gear Solid, opiniões de um old gamer

Olá pessoal! Primeiramente peço desculpas pelas poucas atualizações no rodgames, mas o blog não está esquecido, semanalmente sempre postarei algo para a galera. Essa semana começarei com uma saga clássica para qualquer gamermaniaco, a saga METAL GEAR SOLID! E para fazer tudo corretamente, joguei TODOS os jogos e preparei este especial. Vamos que vamos!

Pois é  , eu sei que vou tomar pedradas de muitos fanboys, mas tenho certeza que alguns vão concordar comigo, vou falar de todos os jogos e minhas opiniões sobre eles que vão apontar os detalhes que corrobam minha preferencia por determinado jogo.  Já que joguei em ordem cronológica e como a história do jogo é extremamente intricada, segue a cronologia da saga com seus respectivos jogos:

Série Metal Gear
(cronologia fictícia)
1964 – MGS 3: Snake Eater
1970 – MGS: Portable Ops
1974 – MGS: Peace Walker
1975/84 – MGS V:The Phantom Pain
1995 – Metal Gear
1999 – Metal Gear 2
2005 – Metal Gear Solid
2007/9 – MGS 2:Sons of Liberty
2014 – MGS 4: Guns of the Patriots
2018 – Metal Gear Rising: Revengeance

METAL GEAR SOLID 3: SNAKE EATER (PS 2, PS3, Nintendo 3DS, Xbox 360):

O ínicio de toda a saga Metal Gear, aqui acompanhamos a transformação de Naked Snake, “pai” do futuro protagonista da saga, Solid Snake(calma que vamos explicar essa história que é bem mais complicada do que parece) e sua transformação no personagem que é reverenciado em todos os jogos da saga, Big Boss! É interessante ressaltar que Big Boss sempre foi visto como um vilão na série, mas nesse jogo, nós temos a chance de presenciar um pouco do que o “soldado perfeito” teve que passar e entender um pouco de seus motivos que o levaram a ser tachado como vilão. Já aviso que o final desse jogo é espetacular, carregando no drama na medida certa, sem ficar piegas em nenhum momento.

Quando joguei esse jogo no Playstation 2 eu fiquei impressionado com a capacidade gráfica e a evolução de sua jogabilidade em relação ao seu antecessor, Metal Gear Solid 2,(MGS 2 não teve um avanço grande na jogabilidade em relação ao primeiro jogo, com excessão da adição do modo em primeiro pessoa).  O jogo envelheceu muito bem, jogando a versão HD Collection no X360  voce percebe que o jogo não faz feio, mesmo comparado com muitos jogos da geração atual.

Originalmente, o jogo deveria ser desenvolvido para o PlayStation 3, mas, ao invés disso, devido à longa espera pelo PS3, o jogo foi desenvolvido para o PlayStation 2. Desde o começo, o diretor de Snake Eater, Hideo Kojima, desejava mudar drasticamente o cenário dos jogos anteriores. Ele comentou que o cenário de floresta era tanto o que sua equipe de desenvolvimento quanto o que os fãs de Metal Gear queriam. Entretanto, ele reconheceu que os elementos de um ambiente de floresta, como clima, paisagem e vida selvagem, eram recursos que apresentariam obstáculos durante o desenvolvimento do jogo. Enquanto que nos lançamentos anteriores o jogador começa perto, ou mesmo dentro, da base inimiga, Kojima queria que Snake Eater fosse mais realista, com Snake iniciando milhas de distância da civilização e tendo que fazer seu caminho até o aquartelamento do inimigo.

Kojima comentou que o ambiente externo era muito difícil de criar. Ele explicou que a razão pelas quais os jogos anteriores se passavam primariamente no interior de um local é devido aos consoles da época não serem potentes o suficiente para representar um ambiente de floresta verdadeiro. Em contraste com os ambientes urbanos, a floresta não possui uma superfície plana. O protagonista em Snake Eater deve cruzar terreno desigual, incluindo rochas, montes de sujeira e tocos de árvore. Como resultado, o motor de jogo de colisão usado nos lançamentos prévios não poderia ser utilizado, e um novo teve de ser construído do zero. Ajustar a tecnologia de captura de movimentos para que os jogadores pudessem andar por estes montes foi um problema durante o desenvolvimento.

Muitos fãs esperavam que Snake Eater usasse uma câmera 3D, mas isto foi por fim não implementado no jogo. Kojima considera Metal Gear SolidSons of Liberty e Snake Eater como uma trilogia, e desejava manter a mesma câmera como os últimos dois a fim de manter a sensação dos três jogos a mesma. Ele, entretanto, reconheceu que a tendência atual para jogos eletrônicos é usar a câmera 3D. A câmera foi mais tarde implementada no relançamento aprimorado de Snake EaterMetal Gear Solid 3: Subsistence, em Metal Gear Solid: Portable Ops e também na sequência para o PlayStation 3, Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots.20

Kojima projetou as batalhas contra chefes de Snake Eater para serem totalmente diferentes daquelas dos jogos anteriores de Metal Gear, ou de qualquer outro jogo. Ele afirmou que a batalha contra o atirador de elite The End é a que melhor representa a jogabilidade livre e aberta no jogo. A batalha se passa sobre uma vasta área de floresta densa, por onde o jogador deve procurar extensivamente The End, enquanto que ele realiza ataques de longo alcance a partir de posições desconhecidas. Esta batalha desgastante pode durar horas, e contrasta com outras lutas contra chefes nas quais o inimigo está bem à frente do jogador e visível o tempo todo. Em adição, o jogador possui a habilidade de ou evitar toda esta batalha eliminando The End mais cedo no jogo ou simplesmente salvando o jogo, esperando um pouco mais do que uma semana, e recarregando o jogo para que The End morra de velhice. Kojima comentou que recursos como este não aparecem em outros jogos.

A jogabilidade de Snake Eater é semelhante à dos jogos anteriores da série Metal Gear Solid. Snake, sendo controlado pelo jogador, deve mover-se por um ambiente hostil e cheio de inimigos sem ser notado. Apesar de Snake adquirir várias armas (abrangendo de pistolas a lançadores de granadas), a ênfase está em usar o stealth para evitar combates. Um número de objetos e ferramentas podem ser encontradas pelo caminho para ajudá-lo em tal tarefa, incluindo detectores de movimento, para detectar soldados, e a caixa de papelão tradicional da série Metal Gear, no qual Snake pode se esconder para que não seja visto. Apesar das semelhanças fundamentais, Snake Eater introduz vários novos aspectos de jogabilidade que não estavam presentes em títulos anteriores, incluindo camuflagem, um novo sistema de combate corpo-a-corpo chamado “close-quarters combat” ou “CQC”, uma barra de energia (além da de vida) e um sistema de ferimento-e-tratamento.

Aproximadamente dois-terços do jogo são ambientados em uma floresta tropical fictícia da União Soviética, e usar este variado ambiente ao máximo a favor do jogador é geralmente a chave para o sucesso no jogo. Uma das novas características, em particular, é a ênfase colocada na camuflagem e o uso do ambiente ao redor (por exemplo, subir em árvores ou esconder-se em grama alta) para evitar ser visto pelo inimigo.5 O radar avançado dos jogos anteriores foi removido em troca de um simples detector de movimentos e um sistema sonar que se encaixava melhor à época em que Snake Eater se passa. Um valor em percentual chamado “camouflage index” (“indicador de camuflagem”) mostra a visibilidade de Snake, em uma escala de valores negativos (facilmente visível) a 100% (completamente invisível para os inimigos). Para minimizar a visibilidade do personagem, o jogador deve trocar de camuflagem e usar de pinturas faciais para conseguir misturar-se ao ambiente; por exemplo, usar um uniforme com aspecto de cascas de árvore enquanto se está encostado em uma, ou usando uma uma pintura facial verde-listrada quando se escondendo em grama alta. Outros dispositivos para camuflagem, como uma máscara de um crocodilo Gavial para diminuir as chances de ser detectado na água, também se fazem disponíveis.

O combate de curto alcance dos jogos anteriores foi amplamente aperfeiçoado e expandido ao sistema de CQC. Quando desarmado ou usando uma arma compatível com tal estilo de luta (pistolas ou facas), Snake pode agarrar os oponentes e imobilizá-los com uma chave-de-braço, em qual ponto uma variedade de atos podem ser executados, como asfixiar o oponente à inconsciência/morte ou interrogá-los com uma faca para obter informações. O contexto, a pressão aplicada no botão e a direção da alavanca analógica determinam qual ato será executado. Enquanto que jogos anteriores usavam uma barra de vida simples, em Snake Eater feridas no corpo inteiro também podem afetar esta barra.Por exemplo, uma longa queda pode fraturar a perna de Snake, deixando-o mais lento até que a fratura seja propriamente tratada com um imobilizador e ataduras. Enquanto tais ferimentos não forem tratados, Snake não será capaz de regenerar a sua barra de vida completamente por um período de tempo.

Calorie Mate, um suplemento de energia presente no jogo.

O local proporciona uma dependência em cima da flora e fauna nativa para sobreviver. Tal dependência é manisfetada numa barra de energia encontrada abaixo da barra de vida, que constante e gradualmente se esvazia durante o jogo, dependendo de quanto esforço físico está sendo feito por Snake (incluindo o peso que ele está carregando), entre outros fatores especiais. Se o personagem não se alimentar, a barra de energia pode chegar a se esgotar, o que resulta em alguns efeitos negativos na jogabilidade, como dificuldades para Snake mirar precisamente sua arma. Alimentos podem ser adquiridos através da caça, pesca e colheita, além de alimentos instantâneos que também podem ser obtidos e digeridos. Os alimentos podem ser armazenados na mochila até que seja necessários comê-los. Todavia, comidas naturais (frutas e animais mortos) apodrecem com o tempo, e consumir comida estragada pode resultar em uma dor de estômago em Snake, o que resulta no esvaziamento mais acelerado da barra de energia.

É impressionante como essas mudanças na jogabilidade refletriram em uma renovada na série, Kojima mandou bem e cativou este jogador rancoroso que vos fala. Pessoal segue abaixo a história do jogo e é obvio que tem Spoilers, só estou colocando aqui com o intuito de relembrar, se voce ainda não jogou essa pérola pare por aqui e vá logo jogar esse game que é um clássico!

Metal Gear Solid 3 se passa durante a Guerra Fria em 1964, onde um agente da CIA, de codinome “Naked Snake”, é enviado às florestas da União Soviética. Auxiliado pelo rádio por Major Zero(Personagem fundamental na história de Metal Gear), Para-Medic e sua ex-mentor The Boss, sua missão é resgatar um cientista soviético traidor chamado Sokolov, que está secretamente desenvolvendo um tanque equipado nuclearmente, chamado “Shagohod”.

A missão prossegue normalmente até que The Boss trai os Estados Unidos e entrega duas miniaturas de mísseis nucleares Davy Crockett a seu novo benfeitor, Coronel Volgin.Sokolov é capturado de volta pela Unidade Cobra.

Snake é gravemente ferido em combate corporal contra The Boss, na qual ela domina muito melhor as técnicas de CQC(close quarters combat), que ela mesmo tinha ensinado a snake. Tal cena se passa numa ponte estreita, onde snake é jogado e cai no rio, dessa forma, permitindo a Volgin e seu grupo de soldados escaparem com o cientista.

Volgin usa um dos mísseis nucleares para encobrir o seu roubo,  destruindo o laboratório de Sokolov; ato cuja culpa subsequentemente recai sobre The Boss.

Após os radares soviéticos captarem o sinal da aeronave usada para levar Snake aos territórios soviéticos, a União Soviética declara os Estados Unidos como o responsável pelo ataque atômico, levando ambas as nações à beira de uma guerra nuclear. Durante uma ligação entre o presidente dos Estados Unidos Lyndon Johnson e o primeiro-ministro da União Soviética Nikita Khrushchev, é feito um acordo em que é dado uma chance aos Estados Unidos de provar a sua inocência e, assim, evitar o confronto. Os Estados Unidos concordam em impedir Volgin, destruir o Shagohod que foi roubado e eliminar a traidora americana, The Boss.

Uma semana após ser resgatado da região, Snake é novamente enviado às florestas tropicais soviéticas como parte da “Operation Snake Eater” (“Operação Snake Eater”), para cumprir as promessas dos Estados Unidos. Durante a missão, ele adquire a assistência de uma outra desertora americana, a ex-agente da NSA, de codinome EVA, que saiu de tal agência alguns anos atrás.

Após numerosos encontros com a unidade de elite “Ocelot” (liderada pelo jovem Ocelot) e derrotando quase todos os membros da Unidade Cobra, Snake consegue localizar Sokolov e o Shagohod, quando então é capturado por Volgin. Após testemunhar a aparente morte de Sokolov, Snake é torturado e tem seu olho direito ferido quando tenta proteger EVA de um tiro de Ocelot. Mais tarde, Snake esforçadamente consegue escapar de sua cela, a qual foi levado após a tortura. Esta ação faz parte da jogabilidade da história do jogo, na qual o jogador deve usar estratégias para fazer o guarda da prisão abrir a cela, dessa forma podendo assim o Snake escapar.

Quando ele retorna à instalação para destruir o Shagohod, Snake toma conhecimento dos Philosophers. Composta dos mais poderosos homens dos Estados Unidos, União Soviética e China, eles são uma organização de aspecto de Illuminati que, secretamente, controlam o mundo. Contudo, após o fim da Segunda Guerra Mundial, eles começaram a lutar entre si mesmos, e a organização foi dissipada. O “The Philosophers Legacy“, um recurso financeiro que a organização acumulou para financiar as suas guerras (100 bilhões de dólares, equivalente a cerca de 1 trilhão de dólares atualmente quando ajustado à inflação) foi dividido e escondido em vários bancos espalhados pelo mundo. Volgin ilegalmente herdou tal dinheiro e Snake toma conhecimento de que os EUA estavam tentando recuperá-lo. Snake e EVA fogem em uma motoTriumph durante a batalha contra Shagohod.

Snake continua a sua missão, destruindo a instalação e o tanque Shagohod, enquanto que lutava contra Volgin, que é morto por um raio durante a batalha. Snake e EVA seguem na moto dela a um lago, onde um ecranoplano estava escondido. Antes de eles conseguirem usá-lo para escapar do local, Snake enfrenta a sua antiga mentor, The Boss, quem ele deveria matar para completar a sua missão.

Durante a batalha, uma cena é mostrada, revelando que The Boss deu à luz uma criança (o pai sendo The Sorrow) durante uma batalha. Contudo, antes da mesma, através de uma chamada no rádio, EVA diz a Snake que a razão de Ocelot ter alcançado o título de major tão jovem era devido ao fato de que seus pais eram soldados lendários. Ela também fala a Snake que a mãe de Ocelot teve que cortar Ocelot para fora durante o nascimento, deixando uma cicatriz que possuía a semelhança de uma cobra. A cicatriz é mostrada em The Boss, o que altamente sugere que ela é a mãe de Ocelot. Após uma batalha emocional, Snake supera seus sentimentos por ela e a derrota. Ele e EVA escapam para o Alaska e passam uma noite juntos. Durante a madrugada, EVA desaparece, deixando uma fita que revelava os seus verdadeiros objetivos como uma espiã para a China, e que foi enviada para roubar o “Philosophers Legacy” para tal nação. A fita continua a ser tocada e EVA revela que The Boss não tinha desertado para a União Soviética; pelo contrário, ela estava sob ordens de fingir ter feito tal traição para que pudesse infiltrar-se na facção de Volgin e localizar o Legacy, que deveria ser levado de volta à América.  A parte final de sua missão era sacrificar a sua honra e falecer nas mãos de Snake, sob o disfarce de traidora, para provar a inocência dos Estados Unidos no ataque nuclear de Volgin do começo do jogo.

Distinguished Service Cross, a medalha recebida por Snake ao completar sua missão.

Após o término da missão, Snake é premiado com o título de “Big Boss” e recebe a Distinguished Service Cross por seus esforços, diante de uma multidão entusiasmada; contudo, Snake ficou tão perturbado e desmoralizado após a revelação de EVA que ele deixa o local após quase que imediatamente receber a sua medalha, mal falando com o presidente, o major Zero e a sua equipe de suporte. Mais tarde, ele aparece chegando a uma sepultura anônima, pertencente à The Boss, que é só uma das milhares localizadas no Cemitério Nacional de Arlington. Colocando a arma de The Boss e um buquê de lírios sobre o túmulo sem nome, Snake procura por algo nas numerosas filas de sepulturas à sua frente, faz uma saudação e derrama uma única lágrima.

Após os créditos, é ouvida uma conversa ao telefone com Ocelot, revelando que o microfilme contendo informações sobre a Philosopher’s Legacy dada a EVA era uma cópia falsa, que Ocelot em si era ADAM, que metade do Legacy verdadeiro estava nas mãos do governo estadunidense graças a Snake e que ele estava trabalhando para a CIA.

E assim termina Metal Gear Solid 3, eu sempre falo com meus amigos que esse jogo pode ser aproveitado integralmente sem precisar ter jogado nenhum outro jogo da saga, pois ele tem inicio, meio e fim, mas se voce já conhece a série, o jogo ficará bem mais divertido, acompanhar a transformação de Naked Snake em Big Boss é literalmente emocionante, e conhecer o verdadeiro inimigo da saga, Major Zero, acompanhe nas próximas partes o desenrolar dessa saga. Na parte 2 iremos conferir as outro jogos que Big Boss protagoniza, MGS Portable Ops, MGS Peace Walker e o futuro Metal Gear Solid 5!

Até a próxima semana com a parte 2 galera

Tags: , , ,

About rodgames

Um jogador das antigas, que ainda continua na ativa no mundo dos videogames!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: