TOP 12 – Os brasileiros nos videogames

Pessoal, a participação do Brasil no mercado dos jogos é cada vez maior, várias empresas estão localizando os seus jogos, sejam legendando ou dublando em nosso velho e bom português brasileiro. Com isso resolvi fazer um especial com os personagens brasileiros nos videogames, confiram:

12 – CARLOS MYAMOTO  (Final Fight 2)

Carlos nasceu no Brasil e fez sua estréia e única participação em Final Fight 2, onde ele e Maki substuiram Guy e Cody como companheiros de Haggar na pancadaria.

Carlos estudou diferentes tipos de artes marciais, sendo que ele prefere fatiar os inimigos com sua katana. Seu sobrenome vem do lendário espadachim Musashi Myamoto.

Curiosidade: A única outra aparição de Carlos no mundo do games foi no final de Alex, no fraco Capcom Fighting Evolution, juntamente com Jéssica (namorada de Cody que foi sequestrada no primeiro Final Fight) em uma luta entre Haggar e Alex.

11-PUPA SALGUEIRO (Rage of Dragons)

A brasileira Pupa Salgueiro, praticante de capoeira, fez sua estréia e única aparicão em Rage of Dragons, um jogo de arcade (muito bom por sinal) que pretendia ser a sequência de Double Dragon, mas devido a problemas com os direitos da turma de Billy e Jimmy Lee, o jogo acabou virando uma “homenagem” ao invés de uma sequência oficial da série Double Dragon.

Pupa vivia no Brasil com seu pai e irmão. Posteriormente Pupa e seu irmão foram estudar nos Estados Unidos. Seu irmão frequentemente se envolvia em brigas e um dia não voltou para casa. Preocupada com ele, Pupa vai procurá-lo no torneio com o mexicano Pepe. No final da sua equipe, eles não conseguem encontrá-lo, mas mesmo assim Pupa acredita e mantém a esperança que seu irmão esteja seguro.

10-RICHARD MEYER (Fatal Fury)

Richard Meyer   surge em Fatal Fury como um dos quatro primeiros oponentes controlados pelo computador. Brasileiro e mestre em capoeira, Richard trabalha em South Town como gerente do restaurante Pao Pao Cafe e participa do torneio para tornar seu estilo de luta mais conhecido. Neste jogo, ele é especialista em técnicas com chutes.

Richard faz participações nos jogos seguintes da série como amigo dos irmãos Bogard e de Joe. Ele aparece em Fatal Fury 2, na cena mostrada logo após a primeira luta contra o computador, atendendo uma platéia de espectadores no Pao Pao Cafe enquanto eles assistem à luta do jogador na televisão. Ele aparece novamente no fim do jogo, derrotado por Wolfgang Krauser, e também no final de Terry Bogard.

Em Fatal Fury 3, Richard abre outro Pao Pao Cafe, que é mantido pelo seu aprendiz de capoeira Bob Wilson. Em Fatal Fury 3 e na série Real Bout, Richard torce e encoraja Bob antes de suas lutas. Ele aparece também em The King of Fighters XI expulsando Kim de seu restaurante e em The King of Fighters XIII observando diversas lutadoras destruindo o seu bar.

Richard é um dos personagens secretos do jogo KOF: Maximum Impact 2 (lançado na América do Norte como The King of Fighters 2006), participando como lutador pela primeira vez após Fatal Fury. Richard Meyer foi o primeiro personagem brasileiro em um jogo de luta a utilizar a Capoeira como seu estilo de luta.

9-BOB WILSON (Fatal Fury 3)

Bob é um homem simpático que gosta de dançar e isso combina muito com o seu estilo de luta: a Capoeira, a arte marcial desenvolvida pelos negros escravos no Brasil. Bob anseia muito testar suas habilidades contra os muitos lutadores, para que possa aprender os benefícios e os erros de suas batalhas. Bob nasceu no Brasil e é conhecido por ter sua família como grande inspiração de lutas, que são conhecidos por serem excelentes lutadores de Capoeira. Apesar da arte da Capoeira ser considerada difícil para os novatos, Bob ficou determinado a estar na mesma liga com a sua família para que ele pudesse fazê-los sentir-se orgulhosos de suas habilidades. Em certa ocasião, Bob tinha chamado a atenção de um homem, que era mestre na mesma área e viu o jovem Bob em suas tentativas de aprender alguns movimentos de Capoeira.- seu nome: Richard Meyer – e esse ficou impressionado com a força de vontade do garoto em querer aprender a arte marcial brasileira. Richard ficou tão impressionado que estava pronto para ensinar Bob e ajudá-lo a desenvolver seu estilo na arte da Capoeira. Bob não pensou duas vezes em aceitar a oferta de seu novo mestre. Nos anos seguintes, Bob tem treinado sob o olhar atento de seu treinador e esse se tornou um grande lutador, chegando a dominar sem problema o circuito de luta no Brasil.

Certa vez, Richard Meyer falou a Bob que tinha negócios a cuidar em uma cidade nos Estados Unidos chamado Southtown e queria abrir um novo restaurante chamado “Pao Pao Cafe”. Bob decidiu acompanhar seu mestre para ajudá-lo com o desenvolvimento de seus negócios no exterior. Bob não participou no torneio Rei dos Lutadores (The King Of Fighters) durante os acontecimentos do primeiro jogo de Fatal Fury, mas foi incentivado por Richard Meyer a melhorar as suas habilidades na Capoeira.

No início de Fatal Fury 3, era a estréia da cafeteria de Richard, chamada “Pão Pão Café 2” e as coisas estavam bem, até à misteriosa chegada dos gêmeos Jins (Jin Chonrei e Jin Chonshu), que provocaram a destruição da cafeteria. Richard Meyer ficou cuidando da reparação do restaurante, mas Bob decidiu juntar forças com Terry Bogard e muitos outros lutadores a fim de conter a ameaça dos gêmeos Jin e lutou para que Geese Howard não obtivesse o “Pergaminho da imortalidade.” Com o fim das ameaças dos gêmeos, ele aprendeu muito com suas derrotas e vitórias, nessa ocasião este ficou chocado e feliz ao mesmo tempo ao saber que seu mestre deixou o “Pão Pão Café 2” sob seus cuidados.

Embora Bob Wilson seja o agora dono de um restaurante popular, ele continua a ser um lutador no coração e sempre lutará quando dada a oportunidade de o fazer.

8-CARLOS OLIVEIRA (Resident Evil 3)

O brasileiro Carlos Oliveira é um personagem do jogo Resident Evil 3 e aparece também nos filmes Resident Evil: Apocalypse e Resident Evil: Extinction; retornando em Resident Evil: Retribution como um clone feito pela Umbrella.

Membro da equipe U.B.C.S. (Umbrella Bio-Hazard Countermeasures Service), Carlos é despachado para Raccoon City com a missão de resgatar possíveis sobreviventes. A Umbrella usou esse plano para disfarçar sua culpa na contaminação da cidade. Apesar de trabalhar na Umbrella, ele não concorda em “limpar” a sujeira deixada pela corporação. Depois de conhecer Jill, Carlos pretende mudar de vida e passa a lutar por uma causa que de fato valha a pena. Dos 28 mercenários (14 em cada helicóptero) só restaram Carlos e Nicholai. Das mortes podemos destacar as três mostradas pelo jogo: Murphy Seeker, amigo de Carlos, morreu infectado; Mikhail Victor, que também havia sido infectado, se suicida para deter Nemesis; um outro é morto por Nicholai Ginovaef, que se revelou um traidor. Por fim, Carlos foi um dos poucos sobreviventes a escapar da cidade, e seu paradeiro atual é desconhecido.

7-SEAN MATSUDA (Street Fighter III)

Sean Matsuda nasceu no Brasil, especificamente em Santos, São Paulo, e aprendeu a lutar karatê supostamente com seu avô japonês. Adora basquete, tanto que vive andando com sua bola nos braços. Um dia, Sean viu um campeonato de karatê e ficou muito admirado com Ken. O jovem lutador então resolveu ir até Nova York conhecer o “ídolo”. No entanto, Ken não lhe deu muita atenção. Só ao descobrir que o rapaz já tinha se inscrito para o Street Fighter Tournament foi que resolveu dar dicas para Sean, passando a treiná-lo após o torneio.
Curiosidade: Sean aparece no final de Ryu em Marvel vs Capcom, prestes a treinar com ele.

6-MARCO RODRIGUEZ/ KHUSHNOOD BUTT (Garou: Mark of th Wolves)

Marco Rodriguez/Khushnood Butt foi um aprendiz de Ryo Sakazaki, que mais tarde quando se tornou faixa preta, abriu seu próprio dojo para ensinar o Karatê Kyokugenryu no Brasil. Para provar o valor de seu estilo de karatê, decidiu entrar no torneio King of Fighters Maximum Mayhem da cidade de South Town, Estados Unidos. Quando ele voltou ao seu dojo,  descobriu que todos os seus melhores alunos haviam sido espancados brutalmente pelo “Destruidor de Dojos” (o yakuza Ryuji Yamazaki fazendo o seu passatempo favorito no seu tempo livre) e todos eles abandonaram o dojo. Ouvindo isso, ele agora procura o famoso maníaco para recuperar o seu orgulho e a reputação de seu dojo.

Curiosidades: Seu cenário em Garou: Mark of the Wolves aparece na versão de PS2 do jogo NeoGeo Battle Coliseum, como um dos estágios 3D originais para a versão do console. Seu tema musical se chama “From Brazil”, e seu cenário é a floresta nos arredores de South Town onde ele costuma treinar. Seu urso de estimação treinado pode ser visto na introdução da luta. Marco Rodriguez/Khushnood Butt era um cinturão verde durante os eventos do The King of Fighters XI. O mestre brasileiro de karatê Kyokugenryu Marco Rodriguez/Khushnood Butt foi baseado no lutador brasileiro de K-1, karateca kyokushin e kickboxer, Francisco Filho conhecido também como “Chiquinho”,  foi o primeiro e único ocidental brasileiro a efetuar com êxito o teste das 100 lutas no Japão e o único no mundo a não precisar ser hospitalizado após o feito. Bateu o recorde de duração (3 horas e 2 minutos) e de número de vitórias (76 vitórias e 24 empates). Seu nome Marco Rodriguez no Japão provavelmente foi alterado para Khushnood Butt como uma medida de segurança na versão ocidental para evitar confusões com o lutador de MMA Ricco Rodriguez na época do do lançamento do jogo.

5-RIKUO (DARKSTALKERS)

Rikuo é o representante brasileiro na galeria de montros da série Darkstalkers, é um tritão que nasceu em 1953. Rikuo foi o unico sobrevivente do reino dos 30.000 tritões. Este império aquático foi destruído por um grande terremoto com intensa atividade vulcânica causada pelo alienigena Pyron.

Rikuo é tomado pela fúria e jura vingança contra Pyron, prometendo destruí-lo, sua fúria somente é aplacada quando ele conhece Keera Aqueria, ele se casa com a mesma e tem três filhos com ela. Rikuo promete reconstruir o reino dos tritões e parte em busca de outros sobreviventes da sua raça.

Em Drakstalkers 3 Rikuo tem um de seus filhos sequestrados, depois de algumas batalhas Rikuo consegue encontrá-lo e uma outra família composta por tritões. Rikuo sente que a reconstrução do império dos tritões não é impossível!

4-EDDY GORDO (Tekken 3)

Eddy Gordo é o primeiro representante brasileiro a se apresentar na franquia Tekken.  Um dia, quando tinha 19 anos, Eddy chegou em casa e viu seu pai baleado. Ele lembrou que seu pai andava nervoso e apavorado nos últimos dias. O pai de Eddy trabalhava em função de destruir uma quadrilha que vendia drogas no Brasil. Seu pai morreu quando toda a investigação parecia estar gerando resultado. Em seu último suspiro, o pai de Eddy disse que aquele momento não era a hora de lutar, que deveria mentir à polícia e dizer a ela que cometeu aquele crime, pois estaria mais seguro na cadeia. Na prisão ele conheceu um grão-mestre de Capoeira que tornou-se seu professor. Após sair da prisão, ele entrou no terceiro King of Iron Fist Tournament para descobrir quem assassinou o seu pai. No final, ele soube que Kazuya estava envolvido de alguma forma.

Curiosidades Os movimentos e algumas técnicas de luta usadas por Eddy na série foram produzidas pelo capoeirista brasileiro Marcelo Pereira, que foi procurado pela Namco.

  • O apelido de Eddy é Faísca.  Foi treinado por Ho Chi Myong (avô de Christie Monteiro).
  • A partir de Tekken 4, seus finais são divididos com Christie Monteiro.

3-CHRISTIE MONTEIRO (Tekken 4)

Christie Monteiro é um personagem da série Tekken. É neta do grão-mestre de capoeira que ensinou Eddy Gordo a lutar enquanto este estava na prisão.

Enquanto estava na prisão, Eddy jurou para seu mestre que ensinaria a arte da capoeira para sua neta, Christie Monteiro, assim que saísse. Depois de dois anos aprendendo, Christie se tornou uma lutadora impressionante. Pouco tempo depois, Eddy desapareceu, deixando o seguinte recado para ela:

“Eu ainda irei me vingar do responsável pela morte de meu pai”.

Ele ainda não sabia, mas se tratava de Kazuya Mishima. Preocupada com o misterioso desaparecimento de Eddy, Christie sabia que só poderia voltar a vê-lo se entrasse no King of Iron Fist Tournament 4.

Curiosidades: Mesmo Christie sendo brasileira, a voz dela, em Tekken 4,5 e 6, é dublada por americanas, porém, em Tekken Tag Tournament 2, ela fala português.

  • No filme de Tekken (horroso por sinal), Christie é apresentada como uma lutadora caucasiana e não luta capoeira, em oposição ao modo que é apresentada nos jogos.

2-SAMUEL RODRIGUES (METAR GEAR RISING REVENGEANCE)

Samuel Rodrigues é o vilão brasileiro de Meta Gear Rising. Samuel demonstrou que era um adversário a ser temido, pois conseguiu cegar o poderoso Raiden na fase prólogo de Metal Gear Rising.

Samuel Rodrigues é um cyborg envolvido com o grupo Desperado PMC que lutou contra Raiden durante os eventos de 2018 em Metal Gear Rising. Ele é um mestre espadachim da técnica “Rodrigues New Shadow School”, que é derivada do “Yagyu Shinkage-ryu do Japão. Samuel é descendente de uma longa escola de samurais do Japão, seu avô veio ao Brasil e aqui fundaram um dojo. Sam herdou a espada de seu pai. Depois, ele viajou o mundo como um mercenário e tendo vários  empregos, fazendo seu nome no submundo do crime. Em determinado ponto teve seu corpo transformado em cyborg e é recrutado pela Desperado PMC, portando uma katanda de alta frequência que irradia uma cor avermelhada. Seu codinome era Minuano, em homenagem ao vento brasileiro, também foi apelidado de “Jetstream Sam”. Número de série do Sam é 977-AZQEE.

Jetstream Sam foi disponibilizado por Download Content, onde os jogadores tiveram a oportunidade de jogar com Sam e saber mais sobre seu passado.

1-BLANKA (Steet Fighter 2)

Apesar de não ser nativo do Brasil pela história do jogo, é inegável que Blanka é reconhecido mundialmente como o legítimo e primeiro representante brasileiro (se duvidam vejam a seção curiosidades no final do texto) na história dos videogames.

Sua primeira aparição na série Street Fighter foi em Street Fighter II. Seu nome protótipo era “Big Dean Caves”. Blanka foi originalmente pensado como um homem das cavernas, e existem rumores de que o design de King Rasta Mon, deSaturday Night Slam Masters, foi um dos primeiros modelos usados para a personagem Blanka.

Segundo a cena final de Street Fighter II, Street Fighter – The Animated Series e a cena final de Street Fighter IV, Blanka nasceu em Taiwan e estava em um avião com destino à Europa, acompanhado de sua mãe, quando passavam por uma base da Shadaloo. O avião foi abatido, e Blanka sobreviveu à queda. Cresceu entre os animais, criando um estilo de luta selvagem autodidata e desenvolvendo a habilidade de emitir choques elétricos, aparentemente aprendida observando os poraquês da Selva Amazônica, onde viveu até a idade adulta.

Em Street Fighter Alpha 3, o seu desenho foi novamente alterado para torná-lo menos feroz. Sua história, tal como as de outros personagens da série, serve como um precursor para os eventos de Street Fighter II. A história diz que Blanka conheceu pela primeira vez a civilização ao entrar escondido numa caçamba de um caminhão que transportava melancias.

Também é revelado que Blanka salvou um turista dos perigos da selva. Seu nome era Dan Hibiki, e eles se tornaram amigos. Quando ele pegou uma carona no caminhão de um contrabandista, Carlos (seu nome real no ocidente, Jimmy no Japão) conheceu o mundo pela primeira vez. Encontrou-se com seu velho amigo Dan, e teve uma amigável luta com ele. Eventualmente ele conheceu a “aluna” de Dan, Sakura Kasugano, e lhe prometeu um duelo. Não contente com o mundo fora da selva, Blanka retornou. Ele também parece ter sido caçado pela Shadaloo como uma potencial cobaia para experimentos, fato mostrado inclusive no filme live-action de Street Fighter (filme). Blanka fica sabendo então que a Shadaloo derrubou seu avião.

Blanka foi convidado e lutou no segundo Torneio Mundial de Lutadores, com o propósito de ficar famoso e reencontrar os remanescentes de sua família, e provavelmente lutou com Guile. Sua mãe estava assistindo e o reconheceu pelas tornozeleiras que ele calçava. Ela imediatamente foi à sua procura e eles tiveram um emocionante reencontro. No término de Street Fighter II, Blanka reencontra sua mãe, Samanta. Ela revela que Blanka era conhecido como Carlos (ou Jimmy), e que sofreu um acidente de avião quando menino. Esse fato fez Blanka crescer em um ambiente selvagem, e desde o ocorrido ele viveu separado da mãe. Na cena final da vitória de Blanka no torneio, o lutador mostra que, apesar de sua ferocidade e determinação implacáveis em batalha, ele é sensível e carinhoso, abraçando sua mãe e chorando em prantos ao reencontrá-la após décadas de separação.

Em sua jornada para derrubar a Shadaloo, Blanka também enfrenta Zangief, e inconscientemente faz Zangief ajudar a destruir a Shadaloo. Ele então enfrenta Balrog, antes de lutar contra M. Bison. Após Bison ser derrotado, Blanka, Dan e Sakura trabalham juntos e destroem a arma de Bison, o Psycho Drive.

Blanka fez várias aparições em outros títulos, além do Street Fighter II original. Blanka está disponível como um personagem jogável nos jogos da série Street Fighter EXStreet Fighter EX2 e Street Fighter EX3. Ele também fez aparições como um personagem jogável em Capcom vs SNK e Capcom vs SNK 2 e Street Fighter IV, ficando de fora em Street Fighter III. De acordo com o seu encerramento em Capcom vs SNK 2, Blanka pensava estar voando para casa, mas quando o avião cai, ele se encontra em um “zoológico”.

Curiosidades: Descobriu-se que a Shadaloo foi responsável pelo seu acidente de avião e ele a odiava por isso, e o livro de referência All About Street Fighter Zero 3 afirma que ele era caçado pela Shadaloo, embora os eventos do jogo contando isso não estivessem necessariamente no cânone.

    • Em jogos posteriores da série Street Fighter II, a Capcom fez com que ele parecesse mais feroz, pois achavam que estava muito “bobo”. No entanto, em Street Fighter Zero 3, decidiram fazê-lo “bobo” outra vez. Em SFZ3, a Capcom se esqueceu que ele não deveria conhecer seu nome até o final de Street Fighter II (sua mãe o chamava pelo seu nome real, e ele não o reconhecia). Por causa disso, posteriormente mudou-se o cânone, e se considera agora que ele sempre soube seu nome.
    • Ele seria conhecido localmente como o “hombre blanco” e teria transformado “blanco” em seu apelido, Blanka. A Capcom pareceu ignorar que a língua falada no Brasil não é o espanhol, mas o português.  Da mesma forma, seria improvável que seu nome fosse Jimmy (mesmo no Japão), pois é um nome inglês.
    • Charlie (Nash no Japão) e Blanka não são o mesmo; no entanto, no filme Street Fighter, de 1994, eles foram combinados em apenas um (antes da aparição real de Charlie nos jogos). Algumas pessoas acham que Blanka seria Charlie (mas isso se comprovou falso em Street Fighter Zero 3), pois quando se chega ao final de X-Men vs. Street Fighter jogando com Charlie/Nash, é possível ver Bison aplicar uma injeção nele e a imagem logo após fica totalmente branca, porém nas continuações da série “Vs.” Charlie/Nash foi mostrado como um personagem secreto, “Shadow”.
    • Foi a versão americana de SF que relacionou a história de Blanka com a de Charlie. No Japão esse personagem chama-se Nash, já que na verdade nunca foi citado antes de SFZero o nome do amigo de Guile, que foi morto por Bison (Vega). Outro erro da versão americana foi atribuir a Blanka o estilo de luta capoeira. Street Fighter só foi ter um lutador de capoeira oficialmente em Street Fighter III, que seria a queniana ElenaQuanto a questão de sua fala, Blanka parece se comunicar através de uns “ruidos selvagens”, os quais somente são entendidos por Dan na série Alpha/Zero, porém na versão de Street Fighter II Blanka possui frases de vitória bastante compreensíveis, como “Ver você em ação é uma piada”.
    • Em Street Fighter RPG da White Wolf, Blanka é um Híbrido Animal, tendo adquirido seus poderes elétricos com enguias e suas habilidades atléticas com os macaco-aranha, além de ser um praticante de capoeira. 
    • Em outro jogo da Capcom, Dead Rising 2, o personagem principal pode colocar uma máscara do Blanka, que é encontrada numa loja de brinquedos.

De acordo com as mesmas fontes que dizem porque ele detestava a Shadaloo, depois de anos amassando plantas contra sua pele, a clorofila mudou sua cor para verde.

Em 2008, o programa CQC enviou um repórter a Espanha, que fez algumas perguntas sobre o Brasil aos transeuntes espanhóis e lhes mostrava fotos de brasileiros ilustres, a fim de testar os conhecimentos dos europeus sobre nosso país. Apenas três de nossas celebridades foram reconhecidas por todos os espanhóis interrogados: Gisele Bündchen, Pelé e…BLANKA (VIVA O BRASIL)

Tags: , , ,

About rodgames

Um jogador das antigas, que ainda continua na ativa no mundo dos videogames!

16 responses to “TOP 12 – Os brasileiros nos videogames”

  1. Rafael says :

    Boa matéria

  2. Alucard says :

    Muito bom, gostei d+ da ultima foto do Blanka!

  3. Cleber says :

    Que ótimo post ehn, pesquisa muito bem feita, o texto tá bem legal. Parabéns , aula de game

    http://hastelavista.com.br

  4. VidalJogos says :

    Muito maneiro cara! Parabéns!
    No meu blog fiz uma matéria parecida com essa também, que pode ser vista em http://vidaljogos.com.br/artigos/os-10-maiores-personagens-brasileiros-nos-videogames/

    Confiram aí!

    • rodgames says :

      Muito bom o seu trabalho Vidal, só fazendo duas observações, o Roberto do Rival Schools é na verdade neto de brasileiros e a Leona não tem nacionalidade definida, sendo uma suposição que ela seja brasileira, no mais gostei bastante do seu trabalho!

  5. marcos says :

    Vi ambas as matérias, mas gostei mais da matéria do rodgames

  6. TdsC says :

    Gostei da matéria, muito bacana. Sabe o que acho engraçado? Os nomes. Dos doze apresentados, apenas o Carlos e o Samuel tem nomes comuns aos brasileiros.

  7. oliveira says :

    Tenho as mesmas características que Carlos Oliveira, cabelo liso castanho, branco… inclusive o nome

  8. gutoyudi says :

    Cadê o Allejo??

  9. Anonymous says :

    cade ralf e clark

  10. Anonymous says :

    Só uma correção… é Olivera e não Oliveira!!!

  11. El Rafaelito says :

    Pq eles acham que todos os brasileiros se chamam Carlos? E o Eddy eh retardado, era Gordo e tomou um remédio pra cagar gordura!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: